123

Agora lascou! Governo do Estado vai fechar sim, 43 hospitais no Maranhão

Pra recordar! matéria do blog do Luis Cardoso em 20-01-2016 às 10:39
O secretário do Estado de Saúde, Marcos Pacheco (foto), ficou tonto quando Gilberto Leda publicou em seu blog (reveja) que a SES pode escantear os hospitais de 20 leitos, “pouco resolutivos”. E no final da tarde do mesmo dia mandou sua assessoria informar ao blogueiro que não recorda se declarou a ele alguma coisa neste sentido.
marcos-pacheco
Não só declarou, como mostra hoje o jornalista na entrevista gravada, como fez várias reuniões desde a metade do ano passado, exatamente quando começou a atrasar a verba de R$ 70 mil que ainda passava para cada um dos 43 hospitais de 20 leitos. Roseana Sarney repassava no mínimo, R$ 100 mil.
Naquele período, Pacheco,  deu de cara com uma norma do Ministério de Saúde que não permite a liberação de recursos para esse tipo de hospital. O repasse é apenas para unidades macro com 50 leitos pra cima. Ocorre que, embora a colaboração tenha que ser tripartite (governos federal, estadual e municipal), no período de Roseana Sarney, o governo bancava quase tudo sem reclamar ou atrasar. Eis a diferença de gestão.
Então, até por conta da crise, significa que os 43 hospitais de 20 leitos terão suas portas fechadas a partir de fevereiro, isto porque o governo estadual não mais repassará nenhum vintém e as prefeituras não terão como bancar as despesas. Pior para a saúde da população e haja procissão de ambulâncias para a capital.
Ainda assim, o governador Flávio Dino aposta em investimentos nos hospitais regionais. Levou 11 meses para concluir 10% da obra final e entregar o hospital de Pinheiro. Outros foram recebidos em estado de andamento acelerado, como o de Caxias, Santa Inês e até em Imperatriz.
O governo quer concluir também o de Chapadinha e Bacabal. Jackson Lago, antes de ter o mandato cassado, entregou o regional de Presidente Dutra.
Resta saber se o atual governo terá condições e recursos para entregar neste ano essas unidades que são importantes para o setor de Saúde do Maranhão. Do contrário, centenas de ambulâncias ficarão engarrafadas com seus doentes na BR 135, que não tem sua obra de duplicação executada. Até parece que no Maranhão nada se conclui. Lamentável!

Nenhum comentário:

Postar um comentário